Número desconhecido

Existem alguns números que não podem ser conhecidos em sua exatidão.

Tudo bem, como diria um amigo meu "essas afirmações taxativas e totalmente excludentes não combinam muito comigo". Ou seja, as expressões como "nunca", "sempre", "jamais", "não podem", "não serão", etc., normalmente não estão no vocabulário corriqueiro dele.

Começo novamente. Existem alguns números que dificilmente serão conhecidos em sua exatidão. (Ficou melhor assim?)

O PI é um deles. Representado pela letra grega no desenho ao lado, o PI é um número que os matemáticos chamam de trancendental. Ah, e ele é um irracional também. Assim, o PI é contraditório em si mesmo. Só na matemática uma coisa é irracional e transcendental ao mesmo tempo.

O PI é uma constante matemática que representa o quociente da divisão entre o comprimento da circunferência de um círculo pela medida do diâmetro do mesmo círculo. Esse número é aproximadamente 3.14159... E as casas decimais continuam indefinidamente. (Clique no link para saber um pouco mais sobre o PI)

Um outro número assim é o número "e". Esse número é definido como base do logaritmo natural de... Eita, já estou muito técnico... Cliquem aqui, e aqui para saber mais sobre números transcendentais, PI e e. (Este livro ao lado se intitula "e: A história de um número" não o li, mas parece ser interessante para os que gostam de Matemática)

Estou escrevendo mesmo esse post agora, pois existe entre os números transcendentais e a tragédia ocorrida na Ásia algumas semelhanças.

1. Quanto mais se procura por pessoas que morreram na tragédia, mais se encontram pessoas mortas. E esse número não para de crescer. Os números trancendentais são assim.

2. Quanto mais se tenta saber com precisão sua exatidão, mais se percebe que é difícil ser exato. Números que não podem ser descritos por nenhuma funcão escrita pelo homem são considerados transcendentais. O que ocorreu na Ásia também é considerado por alguns homens como trancendental.

3. Apesar de ser difícil de entender, tanto os números quanto os desastres naturais, precisamos compreender que queiramos ou não eles existem. E se existem é que precisam existir, pois não concebo uma coisa existir sem ter função nenhuma. Assim, tanto o PI quanto o e, quanto o tsunami na Ásia têm que ter uma função. Podemos até não saber qual, mas têm que ter.

Bom, coloco aqui mais uma vez notícia sobre o tsunami e o terremoto que varreu a costa da Ásia e, até esse exato momento os números de mortos já chegam a 80000 (isso mesmo, oitenta mil). E esses números podem estar longe de serem considerados como verdade. Muitos acreditam até que esses números jamais serão conhecidos com exatidão. Eu estou dentre um deles.

Mas digo algo mais: saber quantos são é o que menos importa nesse momento de tristeza e luto para todos os que ficaram e ainda não sabem como vai ser a vida agora, depois da tragédia. O que conta mesmo nesse momento é a ajuda que estamos dando à distância para esse povo já tão sofrido. Caso não tenhamos como ajudar finceiramente, o que me parece ser o caso da maioria dos que me lêem agora, creio que podemos continuar a enviar pelo menos nossas preces e orações tanto em favor dos que ficaram vivos, quanto dos que se foram do plano material.

Espero que não tenha sido muito irracional ao ponto de não ser compreendido... :)

Comentários

Anônimo disse…
Cara que comparação fantástica você fez!!!Puxar a matemática e fazer analogia com essa tragédia que abalou a humanidade toda.
Adorei seu texto. Feliz ano novo pra você

Um bjo grande!

Bel

Postagens mais visitadas deste blog

Chá de camomila é bom para dor de cabeça e algumas outras doenças

Michelangelo, arte e aprendizado

Duas Flores