Gerência e Português

Recebi esta história e ela me fez rir bastante. Mas o bom dela é que também gera inúmeras reflexões. Vamos à história.

O gerente recebeu o seguinte fax de um dos vendedores:

"Sinhor Gomis, o criente de belzonte pidiu mais cuatrucentas pessa. Faz favo toma as providenssa...Abrasso, Sirva"

Aproximadamente uma hora depois recebeu outro:

"Sinhor Gomis, os relatorio de venda vai xega atrazado purque to fexando umas venda. Temo que manda treiz miu pessa. Amanha ta xegando. Abrasso, Sirva"

O gerente ficou muito preocupado e levou ao presidente da empresa as mensagens que recebeu do vendedor, dizendo-se indignado com a "falta de conhecimentos de escrita" do referido vendedor.

O presidente, um homem muito preocupado com o desenvolvimento da empresa e dos funcionários, escutou atentamente o gerente.

Disse que sabia o que fazer, e logo depois redigiu uma carta de próprio punho que fixou no mural da empresa juntamente com os faxes do tal vendedor:

"Daki pra diante nois vamo faze feito o Sirva: Si priocupa menos em iscreve serto e vende maiz. Acinado, prezidenti"

O que é que realmente importa? Será que português realmente deve ser deixado de lado por causa de aumento de vendas? Ou será que as vendas devem realmente ser deixadas de lado enquanto o português é melhorado?

Acho que a palavra de ordem é equiíbrio. Mas, nesse caso, como equilibrar e o que equilibrar?

Apoio as pessoas sempre precisam para poderem crescer. Mas o que jamais podemos fazer é apoiar o erro, fazer de conta que ele não está errado e ainda derrubar o outro que está querendo consertar algo.

Apesar disso, a atitude dele faz sentido pelo aspecto de que existem momentos em que, mesmo com um pequeno deslize (apesar de esse não ter sido pequeno) se uma outra parte está funcionando, devemos continuar com o bom trabalho nessa área e usá-la como exemplo para os outros.

Eu sou muito chato com relação à língua portuguesa. Estou sempre procurando me corrigir e me criticar e com isso acabo também passando a mesma postura para as pessoas do meu lado. Já diminuí, mas sempre corrigia as pessoas no falar. No escrever, como nem sempre dá pra mostrar às pessoas os erros, acabo criticando intimamente. Apesar disso, nos últimos tempos, tenho pensado cada vez mais no conteúdo do que essa história nos oferece. Comunicação.

Para que a comunicação seja efetiva, a mensagem precisa ser emitida numa linguagem que o receptor seja capaz de compreender. Para isso, ruídos devem ser evitados. Por ruídos falo de expressões que são comuns a apenas um dos lados da comunicação (expressões regionais, por exemplo). Assim, mesmo que a linguagem física não seja a ideal para quem está de fora, se a pessoa que recebe a mensagem compreende o que a que emitiu "falou", então o objetivo da comunicação foi alcançado.

Entretanto, mesmo com a comunicação tendo sido atingida, isso não significa que ela foi alcançada com a eficiência com a qual deveria ter sido. Eu posso, por exemplo, falar uma hora pra transmitir a mesma mensagem que alguém mais habilidoso consegue fazer em 45 minutos, por exemplo. Naturalmente, a transmissão não depende apenas do emissor, mas também do receptor. Se o emissor percebe uma defiência na compreensão do receptor, ele precisa se adaptar para ser melhor compreendido e, com isso, o tempo para a transmissão da mensagem pode aumentar significativamente.

Por causa disso tudo que falei anteriomente é que devemos sempre buscar uma melhor comunicação. Mensagens claras, em primeiro lugar. Depois disso, caso a mensagem tenha sido bem compreendida, mesmo com ruídos, devemos procurar reduzi-los para melhorar ainda mais a comunicação. E terceiro, mas não menos importante, a base lingüística com a qual nos comunicamos deve ser sempre seguida como norma. Naturalmente sabemos que uma língua para se manter viva, se adapta e evolui, mas também não podemos estar assassinando-a em nome de uma evolução forçada.

A "Lenda" da Torre de Babel ilustra muito bem a complicação que é ter várias línguas no planeta Terra. Entretanto, a pior de todas as comunicações truncadas é quando as pessoas acham que falam a mesma língua e na verdade estão falando línguas totalmente diferentes, apesar de falarem o mesmo idioma.

Espero que eu tenha conseguido me comunicar claramente. Caso não tenha, por favor, reclamem. A minha caixinha de sugestões e reclamações está sempre aberta. Basta clicar em comentários logo abaixo desse post e "meter o pau". Estou aguardando.

Um beijo, sem ser de língua, em todos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chá de camomila é bom para dor de cabeça e algumas outras doenças

Michelangelo, arte e aprendizado

Há dias e há dias