Dançar

Nunca gostei de dançar. Sabem, não sei o porquê disso.

E também não sei o porquê de muitas outras coisas.

O mundo é assim, cheio de coisas que estão aí para serem sentidas, para serem descobertas.

Que graça teria se soubéssemos responder a todos os porquês?

===


Hoje ouvi uma música que, apesar de não saber o porquê, se me concentro ao ouvi-la, ela me faz chorar.

Agora, por exemplo, estou chorando. É por estar ouvindo a música. Mas também por outros motivos.

Mas, será que tenho mesmo motivos pra chorar? Não creio, mas choro mesmo assim. Lava. Esquenta.

Se não a alma, pelo menos os canais lacrimais. E quantas lágrimas. Quase evaporando, mas deixando o sabor salgado no rosto.

===


Como podemos ter saudade de algo que não vivemos ainda?

Como podemos nos emocionar com um filme de ficção, sabendo que ele não existe a não ser em nossas mentes?

Nossa mente é poderosa. Se choramos e rimos com algo em um filme, por que ainda teimamos em achar que não somos capazes de mudarmos as nossas próprias vidas com o poder da nossa própria mente?

Projetamos, temos sonhos e quando eles não se concretizam ficamos com saudades deles. E aí ficamos tristes pelo que não vivemos. Será que deveríamos realmente? Como, num momento desses, encontrar motivos para continuar sonhando?

A mente, entretanto, é um redemoinho que teima em nos levar para lugares inesperados. O que precisamos é de criars um bom sistema metereológico que nos ajude a prever com uma boa precisão quando o redemoinho vai nos encontrar e nos prepararmos para enfrentá-lo. Onde iremos parar quando ele chegar ainda não sabemos, mas pelo menos sabemos que estaremos preparados para o que quer que aconteça. Ah, também precisamos nos preparar para reconstrução depois. Com isso em mente, partamos à batalha.

Meu pai escreveu em um de seus livros - um dos meus irmãos mais novos - que "o amor que doamos retorna como luzes em nosso caminho, portanto, caminhemos amando". Essa é uma das excelente preparações para a chegada no redemoinho. Luz é fundamental para nos guiarmos. Os amigos são excelentes luzes em nossos caminhos. Assim, nos momentos difíceis, por mais que o nosso mundo interior nos diga que devemos nos afastar dos amigos, é nessa hora que mais precisamos deles. Tristes ou alegres, se formos realmente amigos, as luzes aparecerão e nos guiarão.

Quero agradecer demais aos meus amigos que em todos os momentos me acompanham. Sei que podem estar achando estranho escrever que eles me acopanham, mesmo estando tão distante fisicamente de todos, ou de quase todos. Mas saibam que, como diz Richard Bach, "longe é um lugar que não existe". Vocês todos estão dentro de um pedaço muito importante meu: o pulmão. É, todo mundo fala do coração sempre, mas esquecemos do pulmão. Invariavelmente, quando falamos de amor dizemos que a outra pessoa é o ar que respiramos. E por onde o ar passa para poder ser bem entregue ao coração?

Vocês todos são minhas células pulmonares, dos brônquios e dos alvéolos que filtram o ar que eu respiro e me fazem acordar cada dia com mais vontade ainda de respirar, olhar pra cima e agradecer pela luz que brilha, pela chuva que cai, pela capacidade de amar, de sentir e de servir que tenho.

Podemos sentir saudade do que ainda não vivemos porque temos a capacidade infinita de amar; e o amor nos faz sentir coisas que são aparentemente paradoxais, complicadas, complexas, mas que são muito simples. O amor é algo que não está na mente. Ele está no fundo do ser, além da mente; está na verdadeira mente. O amor é o ser. E por isso que não o entendemos. Não nos conhecemos verdadeiramente pois não mergulhamos em nós mesmos. A verdadeira mente jamais mente para si mesma e como continuamos mentindo para nós mesmos ainda estamos longe de nos compreendermos.

===


A música que ouço diz assim:

"Dance Comigo"
"Dance comigo, eu quero ser seu parceiro, você não consegue perceber que a música já está começando? A noite chamando e eu caindo, Dance comigo.
Fantasia nunca foi tão extasiante, Eu me sinto livre, Espero que você esteja preparada, Peque o ritmo, E acelere o passo, Dance comigo.
Deixe-a levantá-la do chão, Olhos estrelados, o amor está ao nosso redor, Eu posso te levar aonde você quiser..."



Esta é a música. Chama-se "Dance with me" de 1975, com o grupo Orleans.


A música fala de dança, mas não apenas no sentido mais "banal" da palavra.

Continuo sem saber o porquê de não gostar muito de dançar no sentido "banal" da palavra.

Adoro dançar no sentido que a música também nos mostra.

Agora, ainda estou chorando, mas também estou sorrindo.

E já mais preparado para mais um dia de dança.

Comentários

Anônimo disse…
Concordo com você a nossa mente faz milagres. Nós faz ficar perto, entrando em contato com a força da natureza com toda sua plenitude.
Então dance comigo!
Beijos.
grão de areia
Anônimo disse…
Bom Dia.
Quero lhe agradecer pela sua amizade, carinho e tudo o mais. Bj
Aniña
Danielle Pessoa de Melo disse…
Oi, Tatá
Eu e Hendrick somos muito sortudos por termos voce nao só como cunhado e irmao, mas principalmente, como amigo.
Muita paz e muitos sorrisos!!! :)
beijos,
Dani
Allena disse…
Oi amado...
Quem sabe um dia eu possa te ensinar a dançar.
Ou quem sabe vc me concederia uma dança no dia do meu casamento.
Seria um sonho. Mas vou continuar sonhando.
Quando a chorar... eu sou assim tb.
Choro sempre... com motivos.. sem motivos... por motivos tolos... por algo sem explicação.
Estou chorando agora mas não quero falar o motivo...
Mas chorar alivia minha alma e lá na frente sorrirei muito e seremos ainda mais felizes.
Então que choremos juntos sempre para estarmos felizes juntos e eternamente.
Te amo de verdade.
Beijos na alma e no coração.
Anônimo disse…
Oi tatá, acabei de ouvir a música Dance with me", realmente ela tem um quê de malancólica. Ou será que achei-a melancólica porque ouví depois da leitura?

Sei não. "Pensar bem"! diría Giórgio D'Andréa...outro "irmão" teu.

Lucila
Anônimo disse…
Oi,Meu amado Amigo.
um pensamento.
"O coração nunca envelhece, basta um sorriso, um nada, um alvoroço e tudo nele se ilumina e aquece."(Lamartine)
Hoje é o meu dia de chorar,mas eu sei o motivo da minha chama-se saudade. Beijos no pulmão. Analeta
Rosa disse…
Dançar é muito bom! Dançar com significado de bailar e o dançar so sentido da música. Só não é legal dançar no sentido de "perder o bonde".
bjos
Rosa
Eduardo disse…
Olá grande irmão, Gosto pra caramba de vc. Todos passamos por alguns momentos difíceis, né? Relaxe... e se entregue a uma dança; dança com a alma. Confesso: as vezes fico triste por que não choro, parece confuso, mas é verdade!
Quanto ao sentido "banal" de dançar, também por anos bloquei-me. Fiz-me acreditar em que não sabia dançar. Dane-se todos e o mundo: eu sei dançar!
Sinta-se convidado para LITERALMENTE dançar conosco numa próxima oportunidade.
Amplexos...
Eduardo e CArol

Postagens mais visitadas deste blog

Chá de camomila é bom para dor de cabeça e algumas outras doenças

Michelangelo, arte e aprendizado

Há dias e há dias