Disfarce e Auto-conhecimento

Recebi esta história de um amigo hoje e achei muito interessante pelas inúmeras reflexões que ela nos gera. Não vou copiá-la, já que você a podem ler no link abaixo. Sugiro que a leiam para poderem compreender melhor as reflexões que farei logo depois.

Pastor se disfarça de mendigo para dar "lição" a fiéis

Para que o texto não fique completamente sem sentido se você não leu a história acima, aqui está um pequeniníssimo resumo. O Reverendo Derek Rigby - na Irlanda do Norte - se disfarçou de mendigo e entrou em sua igreja assim fantasiado para ver qual a seria a reação dos seus paroquianos ao se depararem com essa situação.

É muito valiosa essa idéia de passarmos por situações inusitadas para podermos perceber como realmente somos, sem máscaras e sem subterfúgios. É em situações assim que podemos verdadeiramente nos conhecer melhor.

Um sábio da antiguidade nos deixou registrado que a melhor maneira de nos melhorarmos é aplicarmos o famoso "Conhece-te a ti mesmo". Então, fica a pergunta: como é que podemos verdadeiramente fazer isso? Como nos conhecermos mais e melhor?

Analisarmos nossas ações e reações diárias às mais variadas situações que vivemos no dia-a-dia nos dá uma boa medida de o quanto eu ainda preciso melhorar. E isso não é com relação ao que essa ou aquela pessoa acha que eu devo melhorar, mas em relação a mim mesmo. Por exemplo: se eu estou em dúvida se uma ação que eu tomei é prejudicial ou não, pensemos no que nós acharíamos se uma outra pessoa - alguém com quem eu não me dou bem, por exemplo - fizesse a mesma coisa. Será que eu a aprovaria? Ou será que a desaprovaria? Será que eu aprovaria, mas com reservas? Então, porque eu estou fazendo ou não estou fazendo tal coisa?

Esse é um dos métodos mais seguros para que possamos aprender um pouco mais de nós mesmos - convivendo com os outros e aprendendo com todos eles a como melhor nos relacionarmos conosco mesmos e com eles, já que se eles são os outros para mim, preciso lembrar sempre que eu faço parte dos outros para eles.

No dia em que verdadeiramente começarmos a olhar o mundo além dos nossos próprios umbigos, observando nossa vida de um ponto de vista menos egocêntrico, certamente passaremos a viver mais e mais felizes também.

Que bom que tem tanta gente pronta a nos ajudar a crescer, nos testando a cada momento. Testando a nossa paciência, a nossa resignação, a nossa dedicação a uma causa nobre. E melhor ainda se nestes testes diários a que somos submetidos nós estamos aprendendo mais e mais a nos conhecermos melhor e, assim, pudermos nos transformar em mulheres e homens mais nobres e mais dignos da infinita Vida de Amor que o Pai nos deu.

Ao reverendo que provocou essas reflexões, só posso desejar que Deus o abençoe ainda mais, pois é com gente assim que podemos mais e mais aprendermos a nos modificar para melhor e, como conseqüência, transformar o mundo num lugar cada vez mais agradável e feliz de se viver.

Um grande e amoroso abraço em todos.

Comentários

Aninha disse…
Oi Mack.

Que bela lição deste Pastor para seus fieis e consequentemente para nós todos.
Pois é muito facil sermos bons e carinhosos com pessoas que compartilham o nossas mesmas ideias.
Mas na hora de colocar a mão na massa!
A tolerância, a caridade.
Até quando vamos ficar olhando o cisco no olho do outro e não retiramos o nosso.
Obrigado pela história e a reflexão
Um grande abraço
Aniña
Anônimo disse…
Estou acabando um livro sobre a magia da jardinagem... e ví uma foto de orquídea branca... parecida com uma que tirei,, estava atrás do nome científico,, bela foto...ótimo
AFRÂNIO CARVALHO
NITERÓI- RJ
POESIAS E SEUS CONTOS
É SÓ PESQUIZAR NO GOOGLE,
duduze disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
duduze disse…
Tatá, apesar desse post ter sido escrito há algum tempo, as lições que nele estão extraídas me serviram hoje num momento muito crucial do dia.Estava de bobeira na internet e parei pra dar uma olhada no teu blog. Obrigao amigo, por tão distante, estar tão perto.
Grande abraço,

Dudu

Postagens mais visitadas deste blog

Chá de camomila é bom para dor de cabeça e algumas outras doenças

Michelangelo, arte e aprendizado

Há dias e há dias