Café e química

Uma xícara de café por dia pode ajudar a evitar câncer de fígado (em inglês)
Cafeína, a droga predileta (em português)

Estava dando minhas mergulhadas pelas profundezas da net quando encontrei um artigo sobre café. É o primeiro link acima. Então lembrei-me de um antigo artigo que tinha lido sobre a cafeína e fui atrás dele. Encontrei-o. É o segundo link acima.

O primeiro artigo fala sobre uma pesquisa japonesa a respeito do café. Pesquisadores japoneses descobriram que o índice de câncer de fígado entre as pessoas que tomam café é bem menor que entre as pessoas que não tomam café. E que esse risco seria ainda menor entre os que tomam entre três e quatro xícaras por dia.

O segundo apresenta uma detalhada, porém interessante, matéria sobre a cafeína. É uma produção do Departamento de Química da Universidade Federal de Santa Catarina. Recomendo a leitura, pois além de nos apresentar valiosas informações químicas sobre a cafeína, nos mostra importantes considerações acerca da viciação nessa droga.

Por que estou falando sobre isso? Adoro café. Mas tomo muito pouco. Sinto a sua ação no meu organismo e por isso sempre me preocupei com ele. Como todas as coisas em nossa vida, pode ser benéfico ou maléfico, depende apenas da nossa utilização.

Assim, apesar da primeira reportagem, se você gosta de café, leia a segunda antes de dizer "Tá vendo, bem que eu disse que café faz bem..." E se você acha que café só faz mal, antes de dizer "Tá vendo, café é uma droga que pode levar à viciação...", leia a primeira reportagem.

Como sempre em tudo, o importante é encontrarmos o equilíbrio. Equilibremo-nos pois. Andamos sempre na corda bamba...

Beijos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chá de camomila é bom para dor de cabeça e algumas outras doenças

Michelangelo, arte e aprendizado

Há dias e há dias