The New Yorker: Fato - Saltadores

The New Yorker: Fact - Saltadores (Em inglês)

Caros amigos, com esta notícia quero fazer uma apologia à vida.

Agora há poucos minutos acabei de assistir um episódio da série Medium. Falei dessa série alguns dias atrás. Na verdade, dia 31 de dezembro do ano passado, algumas horas antes de voltar ao Brasil. Clique aqui para ler o que escrevi no dia.

No episódio de hoje, a protagonista, que tem sonhos premonitórios e/ou é capaz de sonhar com detalhes de coisas que já aconteceram e que ela não presenciou, ela sonhou com o suicídio de uma garota. A trama da estória de hoje girou toda em torno dos motivos que a fizeram pular de um precipício para a morte certa.

Entretanto, o que mais me chamou atenção foi algo dito durante o episódio e que foi repetido duas vezes. Não tenho uma memória perfeita e minha capacidade para decorar coisas é bastante reduzida, assim, escreverei com as minhas próprias palavras. Prometo que se algum dia conseguir copiar literalmente o texto, transcrevê-lo-ei na íntegra.

Durante um passeio de carro, a protagonista está ouvindo rádio quando decide mudar de estação. Quando muda, ouve o meio de uma notícia que diz assim: "E uma pesquisa mostra que todas as pessoas que tentaram suicídio pulando da ponte Golden Gate, em São Francisco, e sobreviveram, ao chegarem aos dois terços do caminho para a fim do salto, perceberam que todos os seus problemas tinham solução." Acredito que todas devem ter dado graças a Deus por não terem morrido no salto, mesmo (creio eu) tendo ficado bastante machucadas.

Após ouvir isso no seriado vim pesquisar na internet algo sobre o assunto para poder postar para a gente discutir. Encontrei essa matéria na revista New Yorker. A matéria é em inglês, mas para os que gostam do assunto, mostra uma pesquisa muito interessante sobre esse os "saltadores" da ponte.


Golden Gate Bridge - San Francisco, CA

Golden Gate Bridge - San Francisco, CA

No artigo é informado que a ponte Golden Gate é O LOCAL MAIS USADO no mundo para tentativas de suicídio. A cada duas semanas alguém tenta se matar pulando de lá. Isso mesmo, um dos cartões postais mais bonitos do mundo é manchado por uma estatística tão aterradora...

Alguns relatos na matéria comprovam o que ouvi na série. Um certo Ken Baldwin, 28, que estava em estado sério de depressão em 1985, relembra que antes de pular, contou até dez e congelou. Depois contou até dez mais uma vez e largou-se. "Eu ainda posso ver minhas mãos se soltando da ponte". No momento em que, caindo, ultrapassou as cordas da ponte, ele lembra o que pensou: "Eu me dei conta instantaneamente que tudo em minha vida que parecia não ter mais jeito, tinha jeito. A única coisa que não tinha jeito era que não podia desfazer o salto".

Um outro rapaz, de apenas 18 anos, de nome Kevin Hines, tentou o mesmo em 2000. Fala que decidido a pular, andou por sobre a ponte meia hora antes de cometer o ato. Tirou fotos para uma turista alemã. E então pulou. Mas, mais uma vez, no momento que atravessou a corda da ponte, pensou: "Que droga foi que acabei de fazer? Eu não quero morrer!"

Excelente para esses dois homens que a suas tentativas não deram certo. Temos o dever de ficar vivos. Como em todas as aulas de matemática, se temos problemas é para que os mesmos sejam resolvidos. Viver é a maior bênção que podemos receber da divindade. Porque então desperdiçar?

No artigo entretanto, o autor não termina de uma maneira muito feliz. Ele termina dizendo "que Joseph Strauss afirmou que "a Golden Gate demonstraria o controle do homem sobre a natureza", e realmente isso aconteceu. O que nenhum engenheiro descobriu ainda, conclui, foi uma maneira de controlar o selvagem que habita dentro de nós." Ele está errado. Já se descobriu sim. Nós é que ainda não aprendemos a utilizar as ferramentas que foram desenvolvidas para essa "atividade".

Alguns podem dizer que quando se chega a determinado ponto pode ser que não se tenha volta. Digo que só não se tem volta quando se pula como os dois casos relatados... Depois de pular, como disse o Kevin, não dá pra rebobinar a fita. Mas, antes de pular, sempre se pode resolver os problemas. Entretanto, pode até parecer contra-senso, o melhor conselho não é não se mate nem não se suicide.

O melhor conselho é, sempre, VIVA.

Num ditado popular importantíssimo para as nossas vidas encontramos uma das melhores soluções para o suicídio: "É melhor prevenir que remediar". Ao vivermos, ao procurarmos sempre ver o lado positivo das coisas, ao tornarmos nossas vidas úteis e com sentido para aqueles que realmente precisam de ajuda, estamos nos prevenindo contra a tristeza e a depressão, que são duas das principais causas de suicídio em nosso mundo.

VIVA A VIDA. VIVA À VIDA.

E que Jesus nos ilumine hoje e sempre em nossa busca pela nossa paz interior.

Comentários

Bel disse…
Mackenzie, tudo o que vc escreveu nesse post foi pra mim.....Não precisa nem dizer porque. Adoro ler o que vc escreve, pois além de ficar informada, me anima muito essa sua PAIXÃO pela VIDA. É como se eu pudesse ver a sua alegria, essa que só quem te conhece sabe que vc tem. Ao escrever, vc passa exatamente a pessoa que vc é.
Esse post me fez uma música chamada "Viva a Vida". Essa música é de um comunidade católica chamada Recado. Segue a letra:
"Viva a vida e cada segundo que há
Faça cada momento um tempo de paz
Tenha sempre Jesus em sua mente e tudo
Será feito segundo a vontade do Pai
E o sol vai brilhar em sua vida
E vc vai ser luz para o mundo que está
No escuro a espera de alguem como vc
Que lhe mostr o caminho da paz."
Um grande bjo e que Deus te abençoe.
Com saudades
Bel
Evelissa disse…
Não tinha tido coragem de ler ainda... Mas que coisa linda, meu amor!!!
Fico feliz com suas palavras... Obrigada sempre!!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Chá de camomila é bom para dor de cabeça e algumas outras doenças

Michelangelo, arte e aprendizado

Há dias e há dias